Mitos da pirataria

21 04 2009

Encontrei um artigo sobre as desculpas esfarrapadas dos usuários piratas de Softwares Músicais feito pelo IMSTA (International Music Software Trade Association, Associação Internacional de Softwares Músicais), achei interessante e resolvi traduzir e adaptar-lo. (Tem um outro blog que já o traduziu, mas como eu não reachei-o, re-traduzi e adaptei).

Primeiro vou definir o uso para “roubo” neste artigo, roubo é o ato de se obter de forma ilícita softwares e outros materiais protegidos por copyright.

No. 01: As companhias de softwares são grandes.

Para começo de conversa, roubar de uma grande companhia é tão ruim quanto roubar de uma pequena. Muitas das empresas de softwares/músicas são pequenas e as perdas em decorrer da pirataria são altas e os prejudicam demais. Apenas para exemplo, boa parte dos membros da IMSTA tem menos de 20 funcionários, o prejuízo da pirataria para essas companhias é devastador.

No. 02: Softwares não custam nada para serem feitos: CD, caixa, manual…

Dizer isso seria como dizer que uma gravação não custa nada além de CD, capinha e encartes. O fato é, essa é só a parte FISICA do produto. Mas e a parte lógica? Sim, a que prepara tudo isso. A empresa que desenvolve e vende esses produtos precisa pagar o salário dos desenvolvedores, não? Outra coisa necessária é o capital (dindin) para se desenvolver e manter um software. Quem não consegue entender que existem custos além do disco físico está apenas usando-o para justificar o comportamento ilícito.

No. 03: Roubar software não é a mesma coisa que roubar uma latinha de coca-cola.

Roubo é roubo. O “não roubaras” não veio com uma clausula. Roubo de software é roubo. O fato de um software poder ser copiado e uma latinha de coca-cola não, não significa que isso é moralmente admissível. Softwares são protegidos pela lei assim como a latinha de Coca-cola. Se a desculpa for essa, a lei não vê diferenças.

No. 04: As companhias liberam softwares bugados de qualquer forma, preciso usar um crack para ver se eu gosto.

Não vamos nos tornar apologistas de empresas de software com código bugado. Contanto é normal se esperar que um programa que tem dez milhões de linhas de códigos possa conter alguns bugs. Até os carros tem problemas, eles são arrumados com os recalls. O fato é que o software ter um bug, ou vários bugs, não justifica o roubo dele. Nem mesmo o roubo do carro que precisa de recall.

Muitas pessoas usam o crack por um determinado período de tempo e algumas delas realmente compram o programa, mas a grande maioria não. Vamos enfrentar os fatos – um músico usando uma cópia pirata de um programa de computador, especialmente para fazer música (propriedade intelectual) – por qualquer período significativo é um sinal de falência moral.

No. 05: Minha cópia pirata não faz diferença.

Vamos estender esse tipo de pensamento para toda a base de potenciais compradores. O software que você está roubando é financeiramente suportado exclusivamente pelas pessoas que pagaram por ele. Essas pessoas acreditam, corretamente, que devem pagar pelo software que usam e escolheram pagar. Por que não fazer sua contribuição ao invés de pegar carona de graça? Se todo mundo tivesse essa linha de pensamento, a industria de softwares poderia falir e desaparecer.

No. 06: Todo mundo usa programas piratas. Por que eu não deveria?

Apenas porque todo mundo está roubando alguma coisa não torna o roubo uma coisa certa.

A algum tempo atrás beber e dirigir era aceito, agora é certo? Vinte anos atrás ninguém reciclava lixo, agora é certo? José é famoso por dizer que bate na mulher nem mais nem menos que o resto dos homens, isso é certo? Duzentos anos atrás a escravidão era aceita, ainda é certo? Roubo de softwares é um problema social, o fato que nem todo mundo é conhecedor e socialmente preocupado das conseqüências não faz isso certo.

No. 07: As companhias de software te roubam!

Cada fabricante tem o direito de colocar os preços em seus próprios produtos.

Justificar roubo de software porque “são muito caros” é outro sinal de falência moral. É certo roubar uma Ferrari ou uma Mercedes Benz porque, na sua opinião, o fabricante está “cobrando muito caro”? O fato é que temos uma vasta opções de carros. Se você não pode pagar por uma Mercedes compre um Ford. A mesma coisa para o softwares, temos uma vasta opção de softwares com uma boa diferença de preços entre eles. Se você não consegue pagar pelo software “caro”, compre algo que você possa pagar. Ou se você não puder pagar por nada, você deve fazer sem eles e não roubar (ou procurar por uma alternativa gratuita ou opensource).

Um seqüênciador substitui um estúdio de gravação de dez mil dólares. Isso traz técnologia para fazer música a um patamar de preço onde a grande maioria das pessoas criativas podem ter acesso a ela. São necessário centenas de milhares de dólares para se montar um estúdio de gravação de qualidade. Hoje, em média, os músicos que trabalham podem ter acesso a essa tecnologia por um preço acessivel e sem precedentes – coisa que músicos de 10-15 anos atras só podiam sonhar.

A vasta gama de instrumentos virtuais custam 5-15% do hardware equivalente a alguns anos atrás. Como alguém pode falar que o software é caro? Isso é realmente barato por uma analise comparativa. Um FM7* é vendido por 10% que o DX7* foi.

*equipamentos de mixagem, acho.

Artigo original copyright IMSTA, tradução por Keaton (e Google Language Tools) — espero que não me traga problemas. ;P – revisão por Mamutti e re-revisado por Caio. Erro básico no inicio corrigido por Keaton. link dos mitos corrigido por CWaster. (lol. badernei isso.)

Anúncios

Ações

Information

3 responses

19 10 2009
catzurrul

Uma coisa que acho engraçado, e que não foge muito ao contexto:
Blogs piratas que colocam textos na página inicial: “não hospedamos nada, apenas redirecionamos links hospedados na própria internet /*essa parte de hospedado na internet me dói*/, e todos os programas, musicas e videos baixados só podem permanecer 24 horas no seu computador /*vou roubar uma ferrari por 24 horas, depois devolvo*/ e logo apos devem ser deletados …. e aquele bla bla bla.

31 05 2010
Cristiano Maia

Colocando o link como status do orkut, meio de comunicação mais fácil de atingir salsas. =)

Ah! E corrigindo o link fonte: http://www.imsta.org/myths.php

16 06 2010
Keaton

Parece que os genios mudaram o link e esqueceram de me avisar. Valeu. =)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: